comemoraçãoCuriosidadesDestaque

Espetáculo Noches Porteñas – Um Tributo ao Tango.

 

História     A dança, assim como as demais manifestações artísticas, é uma via de expressão capaz de representar diferentes ideias. A cada novo tipo de dança, perpetuam-se valores que fazem de um determinado estilo dançante sinônimo de determinados sentimentos. Na Argentina, o tango tornou-se sinônimo de paixão, melancolia e tristeza.

  Conforme sentencia uma famosa expressão “o Tango é um pensamento triste que se pode dançar”. No entanto, ao contrário do que pensamos, o tango não “nasceu” triste e argentino

  Ao longo do século XIX, a jovem nação argentina incentivou a entrada de imigrantes europeus no país para que os mesmos pudessem ampliar a mão-de-obra disponível e, conforme relatos da época, “refinar” a cultura pelo contato com espanhóis, franceses, poloneses e italianos. Dos contingentes trazidos para ocupar novos postos de trabalho na Argentina, formou-se uma imensa população masculina que deixava a família para tentar a sorte em terras estrangeiras.

   O Tango é uma maneira de viver, de sentir e conceber apaixonadamente a existência e o mundo, expressada por um conjunto de artes unidas baixo o mesmo rótulo por seus artistas, sua estética e as circunstâncias de sua história.

  O Tango é uma música de espécie popular não folclórica, basicamente regrada em um compasso binário de 4/8.      A diferença de outras artes musicais que são em geral improvisadas, o Tango é, sempre, música composta de antemão e executada com acordo prévio.

  É uma dança de pares abraçados, não necessariamente homem e mulher, – ciclo de danças cuja invenção lhe pertence – que se realiza em parte como improvisação e em parte com passos já consagrados e codificados, desenvolvidos através das épocas em coreografias de uma parceira ou de várias harmonizadas.
  É uma canção, quando sua música se combina em espirito, métricas, acentuações, intenções, ritmos e melodias com os versos da poesia cantável.

  Uma Arte de interpretação, no instrumental e no vocal – com cantos -, em versões solistas ou coletivas, orquestras ou coros, sempre sujeitos a arrumação que é a adaptação dos Tangos a cada estilo interpretativo.
Música, dança, canção poética, interpretação instrumental e vocal, são apresentadas como as quatro artes que constituem o Tango.

   Objetivo Como, já bem explica as linhas a cima, 0 Tango é uma representação cultural que integra todas as quatro artes, música, canto, dança e teatro.

   A nossa ideia é mostrar, que o Tango também é popular, uma dança social como outra qualquer que teve por necessidade de sobrevivência, tornar-se clássica. Nesse projeto a ideia é de levar as massas o conhecimento dessa cultura, o contato com o distante e a proximidade com o lúdico levando o coração e a mente, a lugares jamais percorridos.

   Assim falamos sobre imigração, diferenças sociais, diferenças culturais, no intuito, de mostrar que tudo se integra e interage dizendo assim, que o popular é clássico e o clássico é popular.

   “Dancemos Tango” !

Sobre o Show O espetáculo “Noches Porteñas – Um tributo ao Tango”, conta a história do Tango, vindo das origens negras se fundindo aos vários tipos de culturas que invadiram a Argentina, como dos Italianos, Árabes, Russos e também a influência que sofreu da cultura Gaucha vinda dos pampas Argentinos.

   Contando essa história com o sabor dos Cafés, que eram berço da cultura Tangueira, dos bailes rodeados de personalidades de diferentes quilates, de suas músicas que contam casos intrigantes de um povo apaixonado pelo novo mundo que seria Buenos Aires, inspirado na época de 1940 a 1960, passando pela época áurea do Tango até seu declínio, renascendo logo depois e hoje sendo patrimônio Cultural da UNESCO.

  Assim seguindo, mostrando o folclore Argentino, enfatizando a grande influência e importância de Evita Peron com o grande sucesso de “No llores por mi Argentina”, retratando a época áurea do Tango com as músicas como, “El choclo, Por una cabeça, La Cumparsita”, chegando então ao contemporâneo do Tango com sucessos de Astor Piazzolla como ”Adios Nonino e Balada para un Loco”. Na sequência entramos na revolução modernista que sofreu o Tango, tanto na música como na dança, assim, nascendo grupos musicais de Tango eletrônico como “Gotan Project e Outros Aires”. E por final mostrando que tudo que se moderniza tendência a rever os padrões e voltar ao tradicional mesclado com pitadas de modernismo, pois, é assim que é o Tango de hoje! Jovens que escutam, defendem e dançam músicas antigas com arranjos novos.

O Espetáculo é baseado no livro “É necessário dois para bailar um Tango” da autora/ psicóloga e professora de Pós-graduação em Análise Bioenergética em São Paulo, Montevidéu e Buenos Aires, Lorene Gonçalves Soares.

Direção: Alex de Oliveira

Corpo de Baile: Alex de Oliveira, Aline Akemi, Cris Almeida, Daniel Tolosa, Hernan Gonzales Godoy, Priscila Calil, Ricardo Lima, Vanessa Flecha

Cantor: Alberto Cabañas

SERVIÇO – Um Tributo ao Tango

Dia 21 de fevereiro de 2019 as 21h30 min

Local Teatro Fernando Torres – Rua Padre Estevão Pernet, 588 – Tatuapé – São Paulo – informações 11 2227-1025

Ingressos a venda nas bilheterias do Teatro e pelo link do Ingresso Rápido: https://www.ingressorapido.com.br/event/12389/d/54793/s/281056

E INTEIRAS com DESCONTO pelo Sampa Ingresso:

https://www.sampaingressos.com.br/noches+portenas+um+tributo+ao+tango+teatro+fernando+torres.php

Fonte : Elcio Yoshii 

 

Share:

Leave a reply