CuriosidadesDestaqueEntretenimentoSeriesUncategorized

Pantera Negra um dos fortes indicados ao Oscar 2019

Nunca antes na historia de Wakanda e do mundo um filme com super-herói havia sido indicado para a categoria do Oscar de melhor filme. Pantera Negra conseguiu este marco histórico e ainda concorre a outras categorias como:

  • Melhor trilha sonora
  • Melhor figurino
  • Melhor mixagem de som
  • Melhor direção de arte
  • Melhor edição de som

Dirigida por Ryan Coogler, a historia de TChalla (Chadwick Bosemam) ocupando o lugar do pai como rei da nação mais rica do planeta Terra é cercada por misticismo, intrigas politica e polemicas , afinal o vilão Erik Killmonger (Michael B Jordan) conseguiu de forma justa o lugar como comandante de Wakanda.

O primeiro filme solo do herói arrecadou impressionate US$1,34 bilhão nas bilheterias mundiais e carregou uma REPRESENTATIVIDADE impar na historia do cinema de ação. Mas  o que levou o Pantera Negra conseguir tanto destaque no Oscar 2019? 

Nosso palpite:

O VILAO KILLMONGER

 

Interpretado por Michael B. Jordan, Erik Killmonger é um dos melhores vilões do Universo Cinematográfico da Marvel. O primo de T’Challa, que cresceu em Oakland (Califórnia), procura vingança pela morte do pai e dialoga com a questão familiar assim como Loki em “Thor” (2011) Jordan consegue atrair mais atenção nas telonas do que o próprio Chadwick, seja pela máscara africana que usa tanto quanto pela atuação precisa

O seu fim trágico ainda foi importante para T’Challa perceber que os recursos naturais de seu país podem ser importantes para o mundo.

WAKANDA 

A Marvel já está acostumada a acertar a mão em lugares fantásticos. Apenas nos últimos anos, conhecemos o planeta sucateado Sakaar em “Thor: Ragnarok” — sem contar com o poderio da agora destruída Asgard –, inúmeros mundos que sofreram com Thanos em “Vingadores: Guerra Infinita” e até o reino quântico psicodélico de “Homem-Formiga e a Vespa”. Porém, Wakanda salta aos olhos por reunir efeitos visuais que transformam o local em um dos personagens principais de “Pantera Negra”. A nação, que pulsa e parece respirar nas telonas, é representada como a união da tecnologia e das raízes africanas, toda colorida, escondida entre uma densa floresta.

LADO POLITICO

A organização social da região é igualitária, tanto que as mulheres do filme são fundamentais para a proteção e o desenvolvimento do país. Nakia (Lupita Nyong’o) e Okoye (Danai Gurira) são guerreiras de confiança do rei; Shuri (Letitia Wright), irmã de T’Challa, é uma genial cientista; e Ramonda (Angela Bassett) é a “rainha-mãe”, educadora que divide o cargo de governante com o rei.

“Pantera Negra” também ganhou muito apoio nos Estados Unidos pela representatividade, em dar espaço para um herói negro e sua comunidade. Para se ter uma noção, o filme arrecadou apenas nas bilheterias norte-americanas US$ 700 milhões, mais até do que “Vingadores: Guerra Infinita”

TRILHA SONORA

Maior nome do hip-hop atual, Kendrick Lamar carregou a responsabilidade de ser um dos produtores das canções originais de “Pantera Negra”, cujo álbum chegou a ficar no topo dos mais vendidos dos Estados Unidos. Quem o ajudou nesta aventura foi o compositor Ludwig Göransson, parceiro do diretor Ryan Coogler, que incrementou as melodias das trilhas sonoras com instrumentos típicos da África, como tambores, flautas e até vuvuzelas. A canção “All The Stars”, de Kendrick com a cantora SZA, foi indicada na categoria melhor canção original do Oscar e ainda traz um clipe especial inspirado no filme.

RAIZES AFRICANAS

A Wakanda politeísta que crê em Pantera Negra homenageia as raízes africanas principalmente na representação do mundo espiritual. Quando T’Challa vira rei, ele passa por uma cerimônia de passagem em que encontra o pai morto. Ao fundo estão a savana, cujas árvores carregam os espíritos dos reis da região. Outro aspecto importante é o figurino. As designers Ruth Carter e Hannah Beachler pesquisaram inúmeras tribos do continente para dar personalidade a cada grupo representado no filme. Um exemplo são os cobertores que vimos a tribo da fronteira, liderada por Daniel Kaluuya como W’Kabi, inspirados no grupo étnico dos Basothos. A cultura africana também é vista no exército de T’Challa.

Fonte : Entretenimento UOL 

Texto por : Sulamita Garcia 

Share:

Leave a reply