Noticias

Atraso na entrega de projetos de piscinões

Atraso na entrega de projetos de piscinões: São Miguel é um dos bairros afetados

Os projetos para a construção de piscinões, que previnem enchentes, estão atrasados na capital paulista. O prazo para entrega dos estudos passou de novembro para 27 de fevereiro de 2019.

As obras devem ser feitas em parceria entre a Prefeitura e a iniciativa privada. Atualmente, a cidade de São Paulo tem 22 piscinões funcionando e a previsão é fazer mais 15. No bairro da Mooca, na Zona Leste, no cruzamento das avenidas Anhaia Melo e Jacinto Menezes Mello, quando chove, segundo relatos de motoristas e pedestres, nem sempre dá para seguir por essas vias. Seja a pé, de moto ou de carro.

Segundo a Prefeitura, está previsto a construção de um piscinão na região para resolver o problema. A obra custa mais de R$ 90 milhões e o reservatório terá a capacidade para receber 135 mil litros de água, mas o projeto ainda não foi concluído.

Em outra região de São Paulo, na Cidade Ademar, Zona Sul, o piscinão do córrego do Cordeiro era para ser inaugurado em abril, mas o prazo de entrega da obra foi prorrogado para dezembro. A construção custa mais de R$ 50 milhões.

Ainda na Zona Sul da capital, no bairro do Ipiranga, também está prevista a construção de outro piscinão. Ele começou a ser construído em agosto de 2017 e segundo a Prefeitura, a obra será finalizada no segundo semestre de 2019.

  • Estragos

As chuvas que já atingiram São Paulo, até o momento, corresponderam em média a 45,1 milímetros, 33% para todo o mês de dezembro, de acordo com o Centro de Gerenciamento de Emergências (CGE) da capital paulista.

Entre os bairros mais prejudicados pela intensidade de chuva estão: São Miguel Paulista, Freguesia do Ó, Tremembé e Perus.

O Rio Tietê transbordou em alguns pontos. Segundo Sistema de Alerta a Inundações de São Paulo, e, por isto, o impacto tem sido muito maior.

 

Share:

Leave a reply